O Diziminho do Amor é implantado entre as crianças e jovens da Catequese

Oração Dízimo Mirim

DIZIMINHO DO AMOR

Faz-se necessário despertar nas crianças e adolescentes a consciência da devolução amorosa do Dízimo para, posteriormente, não precisar conscientizar os adultos.

“Dê cada um conforme o impulso do seu coração, sem tristeza nem constrangimento. Deus ama o que dá com alegria.” (2Cor 9,7)

Assim, nosso Pároco, Pe Denzil, juntamente com nosso Vigário, Pe. Valdir, acolheram essa missão e vêm implantando com grande carinho no “ministério” da catequese o Projeto Diziminho do Amor – que é a participação dos catequizandos nesta Igreja VIVA, plena e atuante em todo ciclo de nossas vidas.

O Objetivo desse projeto é despertar as crianças e adolescentes para a prática do dízimo na Igreja, bem como a manutenção da pastoral da catequese, adquirindo todos os materiais necessários para as crianças, adolescentes e jovens. Consiste em ensinar os catequizandos e suas famílias o significado e a finalidade do dízimo na vida da Igreja. A participação não é obrigatória. Por isso o nome do projeto é Diziminho do Amor.

O Valor arrecadado é revertido em melhorias diretas na pastoral da catequese.

Pelo dízimo de seus fiéis mirins, a paróquia consegue investir na formação permanente de seus catequistas.

O catequista desde cedo nos anima e convida para que todos sejamos Igreja… não Igreja de pedra, mas Igreja Viva, participativa, pulsante…

Como funciona?

Nos terceiros sábados e domingos de cada mês os catequizandos apresentam no altar, no momento do ofertório, os envelopes confeccionados especialmente para esse fim, contendo o valor de sua devolução à Deus de um pouco do muito que recebe de Suas mãos amorosas.

É fundamental o envolvimento dos pais neste projeto. Motive seus filhos. Não importa o valor. O mais importante é o gesto concreto de amor a Deus, à Igreja, à Catequese e aos irmãos.

São Tiago já nos afirmava:

Mas alguém dirá: Tu tens fé, e eu tenho obras. Mostra-me a tua fé sem obras e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. (Tg 2,18)

“Vês como a fé cooperava com as suas obras e era completada por elas.” (Tg 2,22)

“Vedes como o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé?” (Tg 2,24)

Queremos que todos nós, paroquianos, assumamos esse SER Igreja – ativo e participativo em nossa comunidade.

Venha ser dizimista você também!

Confira aqui as fotos que retratam a beleza desse gesto de amor e doação das crianças de nossa catequese!

Corpus Christi

ImageProxy.mvcA origem da festa de Corpus Christi

História: A Festa de Corpus Christi foi instituída pelo Papa Urbano IV com a Bula “Transiturus” de 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que acontece no domingo depois de Pentecostes.
O Papa Urbano IV foi o cônego Tiago Pantaleão de Troyes, arcediago do Cabido Diocesano de Liège na Bélgica, que recebeu o segredo das visões da freira agostiniana, Juliana de Mont Cornillon, as quais exigiam uma festa da Eucaristia no Ano Litúrgico.
Juliana nasceu em Liège em 1192 e participava da paróquia Saint Martin. Com 14 anos, em 1206, entrou para o convento das agostinianas em Mont Cornillon, na periferia de Liège. Com 17 anos, em 1209, começou a ter ‘visões’, exigindo da Igreja uma festa anual para agradecer o sacramento da Eucaristia. Com 38 anos, em 1230, confidenciou esse segredo ao arcediago de Liège, que 31 anos depois, por três anos, se tornaria o Papa Urbano IV (1261-1264), tornando mundial a Festa de Corpus Christi, pouco antes de morrer.

A “Fête Dieu” começou na paróquia de Saint Martin em Liège, em 1230, com autorização do arcediago para procissão Eucarística só dentro da igreja, a fim de proclamar a gratidão a Deus pelo benefício da Eucaristia. Em 1247, aconteceu a primeira Procissão Eucarística pelas ruas de Liège, já como festa da diocese. Depois se tornou festa nacional na Bélgica. A festa mundial de Corpus Christi foi decretada em 1264, 6 anos após a morte de irmã Juliana em 1258, com 66 anos.

Santa Juliana de Mont Cornillon foi canonizada em 1599 pelo Papa Clemente VIII.

Celebração: O decreto do Papa Urbano IV teve pouca repercussão, porque ele morreu em seguida. Mas se propagou por algumas igrejas, como na diocese de Colônia na Alemanha, onde Corpus Christi é celebrada antes de 1270. O ofício divino, seus hinos, a sequência ‘Lauda Sion Salvatorem‘ são de Santo Tomás de Aquino (1223-1274), que estudou em Colônia com Santo Alberto Magno. Essa festa [Corpus Christi] tomou seu caráter universal definitivo, 50 anos depois de Urbano IV, a partir do século XIV, quando o Papa Clemente V, em 1313, confirmou a Bula de Urbano IV nas Constituições Clementinas do Corpus Júris, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.

Em 1317, o Papa João XXII publicou esse Corpus Júris com o dever de levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. O Concílio de Trento (1545-1563), por causa dos protestantes, da Reforma de Lutero, dos que negavam a presença real de Cristo na Eucaristia, fortaleceu o decreto da instituição da Festa de Corpus Christi, obrigando o clero a realizar a Procissão Eucarística pelas ruas da cidade, como ação de graças pelo dom supremo da Eucaristia e como manifestação pública da fé na presença real de Cristo na Eucaristia.

Em 1983, o novo Código de Direito Canônico – cânon 944 – mantém a obrigação de se manifestar “o testemunho público de veneração para com a Santíssima Eucaristia” e “onde for possível, haja procissão pelas vias públicas”, mas os bispos escolham a melhor maneira de fazer isso, garantindo a participação do povo e a dignidade da manifestação.

Sacramento: A Eucaristia é um dos sete sacramentos e foi instituído na Última Ceia, quando Jesus disse: “Este é o meu corpo…isto é o meu sangue… fazei isto em memória de mim”. Porque a Eucaristia foi celebrada pela primeira vez na Quinta-Feira Santa, Corpus Christi se celebra sempre numa quinta-feira após o domingo depois de Pentecostes.
Na véspera da Sexta-Feira Santa, a morte na cruz impede uma festa solene e digna de gratidão e doutrinação. Porque a Última Ceia está no Novo Testamento, os evangélicos lhe têm grande consideração, mas com interpretação diferente.

Para os luteranos e metodistas, a Eucaristia é sacramento, mas Cristo está presente no pão e no vinho apenas durante a celebração, como permanência e não transubstanciação. Outras igrejas cristãs celebram a Ceia como lembrança, memorial, rememoração, sinal, mas não reconhecem a presença real de Cristo nela. Mas alguma coisa existe em comum que, por intermédio da Eucaristia, une algumas Igrejas cristãs na Eucaristia, ensina o Concílio Vaticano II, no decreto “Unitatis Redintegratio“.

A Eucaristia é também celebração do amor e união, da comum-união com Cristo e com os irmãos.
Ela [Eucaristia], que é a renovação do sacrifício de Cristo na cruz, significa também reunião em torno da mesa, da vida e da unidade para repartir o pão e o amor. E é o centro da vida dos cristãos: “Eu sou o Pão da Vida, que desceu do céu para a vida do mundo, por meio da vida de comum-união dos cristãos”.

Ornamentação: A decoração das ruas para a Procissão de Corpus Christi é uma herança de Portugal e tradição brasileira. Muitas cidades enfeitam suas ruas centrais com quilômetros de tapetes, feitos de serragem colorida, areia, tampinhas de garrafa, cascas de ovos, pó de café, farinha, flores, roupas e outros ingredientes.

(*)Exerceu o ministério por 7 anos na Arquidiocese de Botucatu (63/69), por 14 anos na Diocese de Apucarana (69/83) e por 8 anos na CNBB de Brasília. A partir de 1991 integrou a Arquidiocese de São Paulo, como Vigário Episcopal de Comunicação. É autor do livro “Como Falar com os Meios de Comunicação da Igreja”. Faleceu no dia 11/10/2001. 

Origem do texto:

http://formacao.cancaonova.com/diversos/a-origem-da-festa-de-corpus-christi/

Formação: Pastoral da Acolhida

AcontecMaterial formaçãoeu hoje, 15 de maio, a formação sobre a Pastoral da Acolhida, ministrada pelo Padre José Carlos Pereira.

A convite do Conselho Pastoral Paroquial – CPP,  esse evento foi aberto à comunidade do Verbo Divino e contou com a presença de representantes de outras paróquias que compõem o Setor III.

Organizado pelo Grupo de Trabalho para Formação e pelo Conselho Administrativo e Econômico Paroquial – CAEP, com o apoio das Irmãs Paulinas, sempre presentes em nossa comunidade, a palestra abordou os passos: Organizar, Formar, Realizar e Celebrar, constantes do livro Pastoral da Acolhida – Guia de implantação, formação e atuação dos agentes – de autoria do palestrante que, dentre outros, é padre Passionista, teólogo pastoralista, com doutorado em Sociologia e autor de mais de 45 livros, em diversas áreas.

Confira as fotos: http://paroquiadoverbodivino.com.br/multimidia/fotos/formacao-pastoral-da-acolhida/

O tema do acolhimento tem surgido como preocupação da Igreja do Brasil, que tem afirmado ser necessário acolher com simpatia todo aquele que a procura, principalmente os jovens e as pessoas que querem o Batismo (cf. Doc. 71, n. 34).

“Quem vos recebe, a mim recebe. E quem me recebe, recebe aquele que me enviou.” (Mt 10,40)

Seresta das mães – 7/5/2016 – Fotos

1 painel de entrada

A Seresta das Mães foi um sucesso. Confira as fotos dessa homenagem a essas mulheres que, com muita dedicação e amor  assumiram junto a Deus o dom da criação!

http://paroquiadoverbodivino.com.br/multimidia/fotos/serestamaes/

 

MÃE

Que ao dar a bênção da vida, entregou a sua …

Que ao lutar por seus filhos, esqueceu-se de si mesma …

Que ao desejar o sucesso deles, abandonou seus anseios …

Que ao vibrar com suas vitórias, esqueceu seu próprio mérito …

Que ao receber injustiças, respondeu com seu amor …

E que, ao relembrar o passado, só tem um pedido:

‘Deus, proteja meus filhos  por toda a vida”

O encontro mais aguardado do ano está chegando!!!!

II Restaura-me-2As inscrições tiveram início no dia 07/05 e continuarão no dia 14/05 após a Santa Missa das 18h, as vagas são limitadas, corra logo e garanta o seu lugar!

Save the date: 22/05 às 8h da manhã, na Paróquia do Verbo Divino!!

Você não pode ficar de fora desse encontro que está sendo preparado especialmente para VOCÊ!!!

“Tuus ego sum, et omnia mea tua sunt, o Virgo super omnia benedicta.”
Sou todo vosso, e tudo que possuo é vosso, ó Virgem sobre todos bendita.

Társila Pinheiro – 8351-8880

 

Apresentação dos Crismandos

mensagem-para-crisma-14No dia 15 de maio de 2016, data em que se celebra Pentecostes, apresentaremos nossos jovens e adultos, que em 03 de dezembro, receberão o sacramento da Crisma…

De repente, veio do céu um ruído, como se soprasse um vento impetuoso, e encheu toda a casa onde estavam sentados.

…Ficaram todos cheios do Espírito Santo. (At 2,2.4a)

Também esses jovens e adultos assumirão sua vocação de soldados de Cristo, da Igreja, como os Apóstolos, que cheios do Espírito Santo, anunciaram Jesus Cristo com a vida.

Eles estão se preparando para assumir a FÉ que seus pais e padrinhos assumiram em seu lugar no dia do Batismo.

Nossa comunidade se rejubila neste Ano Santo de Misericórdia com esses jovens e adultos que querem também testemunhar Jesus Cristo em suas caminhadas de VIDA.

VINDE ESPÍRITO SANTO !!!

 

Participe da formação para a Pastoral da Acolhida!

O Conselho Pastoral Paroquial convida a comunidade para um dia de formação aberto a todos, com o tema Pastoral da Acolhida.

O treinamento, no dia 15 de maio, será das 8h às 17h e será ministrado pelo Padre José Carlos Pereira. As pastorais são incentivadas a encaminhar pelo menos três integrantes para participação.

As inscrições custam R$ 20 e podem ser realizadas na secretaria da Paróquia.