“Nossa herança, nossa verdadeira felicidade, vem de Deus”

O Evangelho de hoje (3) convida a refletir acerca da acumulação de bens. O dinheiro, quando direcionado de forma egoísta, é condenável pois não contribuí para uma sociedade mais justa. Jesus não condena a riqueza, mas sim a idolatria e o apego ao dinheiro porque “nossa herança, nossa verdadeira felicidade, vem de Deus”, disse o pároco, padre Denzil Crasta.

A parábola do rico e do pobre apresentada no Evangelho propõe que todos sejam ricos diante de Deus, que se acumulem os bens que enriquecem o ser humano diante do Pai: o serviço, a doação, o amor. “Não devemos nos apegar a essa terra e sim, buscar as coisas do Alto”, disse o pároco. Padre Denzil pediu que todos refletissem no sentido de perceber como “você está usando os seus bens materiais? Como você está ajudando aquele que mais precisa?”

Hoje, também, a paróquia do Verbo Divino acolheu vários sinais: a Cruz, que é proposta ao cristão no seguimento de Jesus e de todas as atitudes que verdadeiramente enriquecem, a bandeira do mês extraordinário missionário convocado pelo Papa Francisco, para outubro deste ano, por ocasião do centenário da promulgação da Carta Apostólica Maximum Illud do Papa Bento XV, e a outra que simboliza os 60 anos da igreja católica apostólica romana no Distrito Federal. A procissão teve início no lado de fora da paróquia.

VEJA MAIS FOTOS

 

2 respostas

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] ao caminho da felicidade proposto por Jesus Cristo, indo ao encontro do apresentado no Evangelho de ontem e de hoje: “onde devemos colocar a nossa felicidade? Nos bens materiais? Naqueles que os […]

  2. […] A paróquia do Verbo Divino comemorou hoje (4) o Dia do Padre. “O Dia do Padre é celebrado oficialmente em 4 de agosto, data da festa de São João Maria Vianney, desde 1929, quando o Papa Pio XI o proclamou ‘homem extraordinário e todo apostólico, padroeiro celeste de todos os párocos de Roma e do mundo católico'” (Canção Nova). Antes disso, a comunidade acolheu os sinais que chegaram na Santa Missa de ontem: a Cruz e as duas bandeiras. […]

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *