Solenidade da Epifania do Senhor – O Salvador vem para todos

A Igreja celebra hoje a Epifania do Senhor. Epifania é um termo grego que significa “manifestação”. É a manifestação do senhor a todos os povos. Ao iniciar a celebração eucarística, Pe. Vagner fez a leitura do anúncio do dia da Páscoa que, por ser uma festa móvel, acontece a cada ano em um dia diferente.

Anúncio das solenidades móveis de 2020:

A glória do Senhor manifestou-se e sempre há de se manifestar no meio de nós até a sua vinda no fim dos tempos. Nos ritmos e nas vicissitudes do tempo, recordamos e vivemos os mistérios da salvação. O centro do ano litúrgico é o Tríduo Pascal, que culminará no domingo da Páscoa, este ano a 12 de abril. Dessa celebração derivam todas as outras: as Cinzas, a 26 de fevereiro; Ascensão a 24 de maio; Pentecostes, a 31 de maio; 1º domingo do Advento, a 29 de novembro. Também nas festas da mãe de Deus, dos apóstolos, dos santos e na comemoração dos falecidos, a Igreja peregrina sobre a terra proclama a Páscoa do Senhor. A Cristo que era, que é e que há de vir, Senhor do tempo e da história, louvor e glória pelos séculos amém.

Nos disse nosso Pároco que os cristãos orientais celebram a festa de hoje com mais solenidade do que o Natal porque é o dia em que o senhor se manifestou como Salvador a todos os povos, cumprindo a promessa que escutamos na primeira leitura.

Enfatizou que a salvação que Deus nos oferece em Jesus Cristo tem um caráter universal. Os judeus pensavam que o Messias seria o salvador do Povo judeu. Um Messias exclusivo daquele povo, mas o Profeta nos diz que não. Não é apenas ao povo escolhido, ao Israel da Primeira Aliança, que o Filho de Deus é enviado, mas a todos nós. o Messias virá para todos os povos, para todas as nações, ninguém está excluído.

A primeira leitura (Is 60,1-6) anuncia a chegada da luz gloriosa e salvadora do Senhor, que iluminará Jerusalém e para lá guiará os povos de toda a terra.

No Evangelho (Mt 2,1-12), vemos cumprido este anúncio do Profeta. Representando todos os povos, os três reis magos do Oriente, que não eram judeus e nem sequer adoravam o Deus de Israel, saindo da acomodação de suas casas e guiados pelo brilho de uma estrela, procuraram o rei dos judeus que acabara de nascer e, ao encontrá-lo, o adoraram e reconheceram nele a “salvação de Deus” para que se cumprisse a profecia de que a salvação é oferecida por Deus não somente aos Judeus, mas a todos os povos.

A segunda leitura (Ef 3,2-3a.5-6) apresenta o plano de salvação de Deus para toda a humanidade, admitindo judeus e pagãos como membros do mesmo corpo, partícipes da mesma promessa em Jesus Cristo.

Celebrar essa universalidade da fé é motivo de muita alegria para nós porque sabemos que também somos destinatários da salvação. A mensagem de Jesus é para todos nós!

“Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-lo.” (Mt 2,2b)

“Quando entraram na casa, viram o menino com Maria, sua mãe. Ajoelharam-se diante dele, e o adoraram.” (Mt 2,11a)

As nações de toda a terra hão de adorar-vos, ó Senhor!

Confira AQUI AS FOTOS da celebração

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *