Dom Marcony

Professar nossa fé com a boca e com a vida.

D. Marcony explica o que é a fé e quais são os símbolos de fé contidos no Credo.

Professar a fé é crer no que não se vê. E não é porque somos pessoas mais simples ou sem muito estudo que não podemos ter fé. Mas, atenção, o conhecimento gera também a fé.
E o que é a fé? “É jogar-se em Deus com confiança, sem objeções, como uma mãe se entrega a um filho problemático e acredita que tem jeito”, define D. Marcony Vinícius Ferreira, bispo auxiliar da Arquidiocese de Brasília.Dom Marcony

As pessoas são chamadas à fé por meio dos símbolos da fé, expostos na oração do Credo, criada pelos apóstolos. Para compreendermos melhor é preciso atentar primeiro para o mistério da Santíssima Trindade, como explica D. Marcony: “Deus existia antes de tudo e amando-se a si mesmo, porque não havia mais ninguém, ele projetou o Verbo (segunda pessoa) e, como reflexo dessas duas pessoas, projeta-se a terceira, que é o Espírito Santo. Este é o pensamento de Santo Agostinho. Complexo! Por isso, Deus lhe disse que isso era mistério e ele nunca compreenderia toda a profundidade da Trindade.”

Entenda-se, por enquanto, que o Pai criou, o Filho salvou e o Espírito santificou. O problema é que o pecado quebrou a ordem estabelecida por Deus no começo da criação e o Verbo teve de se encarnar para fazer com que o homem, que havia se afastado de Deus, se lembrasse de sua imagem e semelhança com o Pai.

“Assim não devemos acreditar em falsas doutrinas, sedutoras e mentirosas. Só há um Deus verdadeiro e Ele é uma pessoa em três”, reforça o bispo. Aí vem a pergunta, mas todos são um só Deus, como Deus pode morrer, como Jesus? “Ora, Jesus é o Senhor porque se entregou totalmente. Ele se encarnou no seio da Virgem Maria por obra do Espírito Santo, que é quem nos dá a vida e nos floresce a obra de Deus em nós”, esclarece o bispo. Em seus três anos de vida pública, Jesus ensinou tudo a seus discípulos com a própria vida. Ele não nos exige nada que Ele mesmo já não tenha feito.Dom Marcony

E a hora de sua paixão e morte é o centro da nossa fé. Na ceia, Jesus se humilhou, lavando os pés dos apóstolos e mostrou sua humanidade ao afirmar que sua alma estava conturbada e também sentia medo da morte. Ele foi preso, flagelado, carregou nossas dores e se desfigurou com as chagas. Depois de vencer todas essas tentações, ele se entregou na cruz.

Três dias depois, marcadamente citados no Credo, Jesus ressuscitou, porque foi fiel a Deus até o fim. “A ressureição é o ato mais sublime da nossa fé. Quando ressuscitamos vamos também com a carne e depois vem a vida eterna. Mas é um corpo transcendente, não viramos fantasmas, nem temos que nos preocupar se vamos ressuscitar velhos, jovens ou criança. Não estaremos mais presos à aparência ou às necessidades corporais. Não é essa mesma carne nossa de agora, por isso a Igreja permite a cremação. A ressureição é a capacidade da nossa humanidade se encontrar com Deus novamente”, detalhou D. Marcony.

E o Espírito Santo? Ah, Ele é Deus e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado! Ele não é menor dentro da Santíssima Trindade, é um só com Deus também.
No Pentecostes, Jesus, após ter terminado sua missão, nos envia o Espírito Santo e até hoje vivemos o tempo do Espírito que nos convence sobre quem são os apóstolos, quem é Jesus e nos dá discernimento para sabermos o que é melhor em nossa fé.

“Conhecemos o Espírito Santo crendo na Igreja una, santa, católica e apostólica. Católica quer dizer universal, onde todos são chamados a morar com o Pai. E é a mãe Igreja que nos prepara para gozarmos das moradas do céu. Por isso, o que proclamamos na Missa não pode ser só da boca pra fora, tem que estar no coração e ser vivenciado lá fora. Temos que ter convicção da nossa fé. Naquilo que não compreendemos, peçamos ajuda para não vacilar. Não troquemos Deus por nada. Que o Credo seja uma oração de convicção rezada todo dia para aumentar a fé naquilo que estamos falando. SEJAMOS COMO MARIA: ACREDITAR PRIMEIRO, GERAR DEPOIS E DAR JESUS AOS IRMÃOS”, concluiu o bispo.

CLIQUE AQUI e veja mais fotos deste encontro.

 

 

 

1 responder

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *